Home > Ciência e Saúde > Clique Ciência: Por que acordamos com mau hálito?

Clique Ciência: Por que acordamos com mau hálito?

Abrir a boca pela manhã pode ser uma operação de risco – principalmente quando há alguém está do seu lado. Ao acordar, o mau hálito é quase inevitável, mesmo que você tenha escovado bem os dentes na noite anterior. Mas, apesar de incômoda, a situação é perfeitamente normal, segundo especialistas ouvidos pelo UOL. Eles também apontam os motivos do sabor ruim e do cheiro desagradável que caracterizam nossas bocas pelas manhãs.

A dentista e professora da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) Denise Abranches explica que isso acontece porque durante a noite produzimos menos saliva, o que favorece a proliferação de bactérias que atuam na degradação de células e de possíveis restos de comida. A consequência é a emissão de gases que causam o mau odor.

“É um processo fisiológico normal, proporcionado pela falta de hidratação durante o sono, não tem como mudar isso. Nós temos muitas bactérias na boca, que são de proteção, e à noite elas acabam emitindo gases voláteis, como o enxofre”, explica Abranches.

Apesar de o processo atingir todo mundo, a intensidade varia. Isso porque alguns comportamentos podem tornar o mau cheiro pior pela manhã, como ingerir alimentos temperados com alho e cebola, bebida alcoólica, cigarro e não escovar bem os dentes na noite anterior. Cáries, uso de alguns medicamentos e inflamações na gengiva também podem agravar o incômodo.

“Essas bactérias existem em maior ou menor quantidade e, mesmo que tenha pouca produção de saliva à noite, se não houver restos de alimentos na boca, a halitose será menor”, diz Claudia Christianne Gobor, cirurgiã dentista e presidente da ABHA (Associação Brasileira de Halitose). Para reduzir o desconforto, Gobor dá dicas simples:

“Por isso, hidratação adequada e boa higienização diminuem bastante o mau hálito matinal”
Claudia Gobor, da Associação Brasileira de Halitose
E se o mau hálito não desaparecer?
O normal é que o mau cheiro vá embora após o café da manhã e uma boa higienização dos dentes. Se mesmo assim ele persistir ao longo do dia, é sinal de que algo pode estar errado com a sua saúde.
“Cerca de 90% dos casos de mau hálito estão relacionados à cavidade bucal e só 10% são problemas do estômago”, diz Abranches.

No dentista, o diagnóstico para o mau hálito normalmente está associado a doenças causam lesões na boca ou a diminuição da saliva. É o caso de pessoas que passam por situações de muito estresse, têm diabetes, gengivite, HPV (Papiloma vírus humano) ou câncer de boca, que fumam ou tomam determinados medicamentos que reduzem a produção da saliva.

“O tratamento de hálito nunca é uma receita de bolo, cada caso é tratado individualmente. Por exemplo, alterações na gengiva podem causar halitose. Então é preciso, primeiro, tratar o problema”, diz Gobor. Nos casos em que há baixa produção de saliva, os dentistas podem recomendar o uso de um gel que hidrata a mucosa e reduz o mau hálito.
Por Notícias UOL

Comments

comments