Connect with us
http://jardimdoagreste.com.br/wp-content/uploads/2018/07/728x140.png

Educação

ABERTAS INSCRIÇÕES PARA A 24ª CIÊNCIA JOVEM Feira de Ciências em Pernambuco recebe projetos de estudantes e professores de todo o país e do exterior

Published

on

Estão abertas, até 31 de agosto, as inscrições de projetos para a 24ª Ciência Jovem.  A Feira Internacional de Ciências de Pernambuco se destaca no cenário nacional como uma das grandes oportunidades para que professores e estudantes do Ensino Infantil, Fundamental e Médio do Brasil inteiro e de outros países compartilhem as pesquisas e projetos desenvolvidos na escola.  Este ano, a Feira será realizada nos dias 7, 8 e 9 de novembro, no Shopping RioMar.

As inscrições são realizadas por meio de formulário online disponível no site: www.espacociencia.pe.gov.br. São cinco categorias: Iniciação à Pesquisa, para alunos da Educação Infantil e Fundamental 1; Divulgação Científica, para estudantes do Fundamental 2; Incentivo à Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico, voltadas ao Ensino Médio; e Francis Dupuis, para projetos do exterior. Além disso, educadores podem inscrever projetos na categoria Educação Científica e compartilhar experiência pedagógicas bem sucedidas.

Cada escola pode inscrever até dois projetos, em categorias diferentes. Cada projeto deve ser representado por um professor e dois alunos. Todos os inscritos serão submetidos a uma seleção, cujos resultados serão divulgados no dia 20 de setembro.

O Espaço Ciência não cobra taxa de inscrição, mas será de responsabilidade de cada equipe inscrita os custos com transporte, alimentação e hospedagem. Haverá uma ajuda de custo, que será fornecida para uma escola pública selecionada em cada estado brasileiro fora de Pernambuco.

A Ciência Jovem acontece no mês de novembro e, este ano, será no Shopping RioMar. Durante os três dias de realização do evento, são mais de 10 mil visitantes que circulam nos estandes. “É muito gratificante ver a empolgação dos estudantes e a  maneira como eles se apropriam tão naturalmente dos conteúdos quando isso está associado à realização de um projeto de pesquisa”, ressalta Eulália Almeida, da Coordenação da Ciência Jovem.

INSCREVA SEU PROJETO

CONFIRA O REGULAMENTO PARA PROJETO DE ALUNOS

CONFIRA O REGULAMENTO PARA PROJETOS DE PROFESSORES

A Ciência Jovem é promovida pelo Espaço Ciência (Museu Interativo de Ciência do Estado de Pernambuco), desde a criação do Museu. “Ela acompanha a história do Espaço Ciência porque sua concepção,  de aprender com a prática e experimentação, é também o conceito explorado no Museu”, explica o diretor do Espaço Ciência, Antonio Carlos Pavão.

Nestes 24 anos de experiência, a Ciência Jovem, que começou com alcance estadual, cresceu, e hoje recebe projetos de todos os estados, além de outros países latino-americanos como Chile, México e Paraguai. No ano passado, foram selecionados 300 projetos, dentre quase 600 inscritos. A Feira é, ainda, uma das poucas que recebem projetos de alunos desde a Educação Infantil. “A curiosidade é natural do ser humano e se manifesta de forma mais livre quando somos crianças. Precisa portanto ser estimulada desde cedo”, opina Pavão.

Outra característica da Ciência Jovem é o estímulo à realização dos projetos durante todo o ano letivo, de forma integrada ao currículo escolar. Para isso, aqueles que realizam a inscrição antecipada, no mês de março, são beneficiados com uma pontuação extra no resultado final. Este ano, por exemplo, a Feira recebeu quase 260 pré-inscrições.

A Ciência Jovem tem mais de 60 Feiras afiliadas, das várias partes do país e do exterior. Por meio da relação entre elas, projetos bem sucedidos  na Feira pernambucana são credenciados para outras Feiras nacionais e Internacionais.

A qualidade dos trabalhos apresentados em Pernambuco fica evidente nos resultados obtidos em outros eventos. Este ano, grupos credenciados pela Ciência Jovem já foram premiados na Milset Brasil, em Fortaleza; e naExpo-Ciencias Latinoamericana ESI AMLAT, no Chile, e seguem, respectivamente, para o México e Abu Dhabi.

As Feiras afiliadas devem inscrever seus projetos até o dia 15 de agosto. Para os demais, as inscrições vão até 31 de agosto.

ACESSE AQUI PARA MAIS INFORMAÇÕES

Comments

comments

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

O fim do FUNDEB: Quais as consequências para quem administra e para quem precisa desse fundo? Confira a análise do jornalista Daniel Melo sobre o fim do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FUNDEB)

Published

on

Sabemos muito bem que temos no Brasil uma das piores educações do mundo, mas que existe um empenho em muitos setores para mudar isso. É notório, ainda, que os gestores municipais estão mais empenhados que os últimos governos federais responsáveis pelos repasses defasados no tocante a administração das cidades brasileiras seja em educação ou em qualquer outro setor.

No entanto, o que já é ruim pode piorar ainda mais. O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB). Criado em 2007 em substituição ao antigo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (FUNDEF), o FUNDEB é responsável pela manutenção da educação desde a pré-escola até o ensino médio nos estados e municípios brasileiros, mas está previsto para ser encerrado em 2020. De acordo com o portal do Ministério da Educação (MEC), em cada estado, o FUNDEB é composto por percentuais das seguintes receitas: Fundo de Participação dos Estados (FPE), Fundo de Participação dos Municípios (FPM), Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Imposto sobre Produtos Industrializados, proporcional às exportações (IPIexp), Desoneração das Exportações (LC nº 87/96), Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doações (ITCMD), Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), cota parte de 50% do Imposto Territorial Rural (ITR) devida aos municípios. Ainda compõem o fundo as receitas da dívida ativa e de juros e multas incidentes sobre as fontes acima relacionadas. Do montante, 60% é gasto com o pagamento dos profissionais do magistério, como professores, gestores, coordenadores e merendeiras. Os outros 40% são destinados aos demais gastos com educação.

Para se ter uma noção, em 2018 o FUNDEB injetou na educação do nosso país mais de R$ 140 bilhões. Só em novembro do mesmo ano, Pernambuco recebeu mais de R$ 167 milhões. É importante lembrar que o piso nacional do magistério é atrelado ao fundo e, em alguns casos, ainda tem contrapartida dos municípios. Gravem essa expressão: CONTRAPARTIDA. Ela vai explicar muita coisa quando trouxermos para mais perto da nossa realidade.

O previsto fim do FUNDEB para o ano que vem tem preocupado, principalmente gestores municipais. A exemplo da prefeita da cidade de São Bento do Una – PE, localizada a pouco mais de 200 km da capital Recife, que afirma categoricamente a necessidade da manutenção do fundo. “Mesmo tendo o FUNDEB para custear os gastos com a educação, ainda temos que fazer muitas contrapartidas no que diz respeito a manutenção da qualidade da educação em nosso município. Temos avançado gradativamente e de forma satisfatória. Mas mesmo com o fundo nos moldes atuais, precisamos sempre fazer complementos para manter o padrão”, afirmou a prefeita.

Ainda citando São Bento do Una como exemplo, é repassado para a merenda escolar o equivalente a 36 centavos por aluno por dia e aproximadamente R$ 12 por mês para o transporte escolar, sendo necessário fazer contrapartidas nas duas áreas. As tais contrapartidas, que destaquei antes, são retiradas de outras áreas importantes como infraestrutura, por exemplo. Aí te pergunto: Como faz para se manter dentro do que rege a Lei de Responsabilidade Fiscal, que amarra as gestões municipais e burocratiza a administração pública? Em outro momento eu explico. Prometo!

Por sorte, está tramitando na Câmara Federal o Projeto de Emenda Constitucional 015/2015 e em discussão no Senado a PEC 24/2017 que tornam o FUNDEB permanente e com maior repasse por parte do Governo Federal. Isso contribuiria para o fim ou, pelo menos, a redução da infeliz, mas providencial contrapartida que tanto sangra os cofres de pequenas cidades como São Bento do Una.

E SE FOSSE NA SUA CASA? – Ilustrando o que falei logo acima, suponhamos que sua renda mensal seja de R$ 2 mil, vamos transformar o gasto com dois filhos que estão na escola no “FUNDEB” da sua residência que, como rege o fundo nacional, é obrigatório gastar 25%, ou seja, R$ 500 reais. Levando em consideração compra de material escolar, aula de reforço, transporte das crianças, lanche, etc. No fim do mês isso daria R$ 640, obrigando você a fazer uma contrapartida de R$ 140 que poderia ser gasto em outra coisa. De onde você tiraria? Do plano de saúde, que é obrigado ser pago todo mês ou dá feira de mercado, sendo que você sabe exatamente do que precisa para manter o alimento na mesa e a casa limpa? É exatamente o acontece com as cidades, principalmente as de pequeno porte.

Na administração pública, a contrapartida pode gerar uma “bola de neve morro abaixo” que certamente acarretara em prejuízo não só para o gestor, mas também para o povo que espera sempre pelo dia que nossa educação seja tão boa quanto a de países mais desenvolvidos.

TV SBUNA

Comments

comments

Continue Reading

Educação

São Bento do Una (PE) diminui índice de evasão escolar e é destaque do MuniCiência O MuniCiência é uma ação pioneira da CNM para identificar, reconhecer e reaplicar práticas inovadoras em gestão municipal.

Published

on

Iniciativa inovadora da gestão municipal de São Bento do Uma (PE,) que diminuiu o índice de evasão escolar de 18% para 0,25%, o programa Estou Presente, Professor vai ganhar um guia de reaplicação. Trata-se de um registro em formato de livro informativo que possibilita o compartilhamento das informações com os Municípios brasileiros. Além de documentar a prática, o conteúdo do guia fornece orientação para que os gestores locais possam implementar a iniciativa e buscar impacto positivo em seus Municípios.

O conteúdo será lançado durante a XXII Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, que ocorre entre 8 e 11 de abril de 2019. O evento proporciona o encontro dos municipalistas brasileiros eleitos para o período 2019/2022 com o novo governo federal e o Congresso Nacional.

A iniciativa, que fez cair o índice de evasão escolar – para dar um exemplo de eficácia – ganhou o Prêmio MuniCiência (Ciclo 2017/2018). A láurea faz parte do Projeto UniverCidades, uma Plataforma para o Desenvolvimento e Governança Municipal, executado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) com apoio da União Europeia.

Para levar o prêmio, o programa Salta-Z passou por três etapas – as duas primeiras foram de avaliação feita por uma comissão técnica, enquanto a última contou com votação aberta ao público realizada por meio do site do concurso.

Lugar de aluno é na escola
Em 2005, antes do projeto, o abandono de alunos atingiu o percentual de 17,8%, índice que foi reduzido para 0,27% em 2017, já com o Estou Presente, Professor. “É importante que as iniciativas de educação sejam consolidadas como políticas públicas para que o compromisso se estenda a todas as administrações que assumirem a gestão municipal. Boas práticas não têm patente”, comenta a prefeita de São Bento do Uma, Débora Almeida. O Estou Presente, Professor também registra um aumento significativo na aprovação dos estudantes passando de 84% em 2012 para 91,7% em 2017. E a redução no número de reprovados passou de 12,8 % em 2012 para 8,2% em 2017.

Além dos benefícios diretos ao aluno, o programa busca garantir assistência às famílias de estudantes em que carências diversas motivam o abandono da escola.

Prêmio
O MuniCiência é uma ação pioneira da CNM para identificar, reconhecer e reaplicar práticas inovadoras em gestão municipal. A iniciativa faz parte do Projeto UniverCidades, apoiado pela União Europeia, e tem três etapas: avaliação da Comissão Técnica; votação nacional online aberta ao público; e sistematização por meio da visita técnica da entidade.

Foto: Agência Galo
Da Agência CNM de Notícias, com informações da Agência Galo

Comments

comments

Continue Reading

Educação

Secretaria de Educação de São Bento do Una, convoca alunos para cadastro da carteira do transporte universitário Os alunos São Bento do Una terão o prazo de 21 a 30/01 para ter acesso aos transportes

Published

on

A prefeitura de São Bento do Una, através da Secretaria de Educação divulgou o prazo para que os alunos universitários possam emitir a sua carteira para utilizar os transportes universitários.

Os alunos que utilizarão os ônibus para frequentar as faculdades das cidades de Belo Jardim (PE), Caruaru (PE) e Garanhuns (PE) deverão levar a seguinte documentação para emitir a sua carteira pessoal:
– Xerox do RG e CPF;
– Comprovante de residência;
– Cópia do comprovantes de matrícula;
– Foto 3X4.

O prazo é de 21 a 30 janeiro, no horário das 8h às 13h, no prédio da prefeitura, onde funciona a Secretaria de Educação.

A carteira será entregue apenas ao estudante titular da carteira e o mesmo só poderá utilizar o transporte mediante apresentação da mesma.

TV SBUNA

Comments

comments

Continue Reading

Trending

Copyright © 2019 Jrardim do Agreste