Connect with us
http://jardimdoagreste.com.br/wp-content/uploads/2018/07/728x140.png

AgroNegócios

Polícia apreende 14 toneladas de queijo coalho durante operação no Recife Investigadores apontam que rótulos eram falsificados e validades, adulteradas. Mercadoria seria vendida no Mercado de Afogados.

Published

on

Uma operação da Polícia Civil apreendeu 14 toneladas de queijo coalho impróprio para o consumo durante uma operação no Recife, na manhã desta terça-feira (18). Os queijos, que não respeitavam as normas sanitárias, foram aprendidos durante a Operação Zero Lactose, durante entrega no Mercado de Afogados, na Zona Sul da cidade. (Veja vídeo abaixo)

Operação apreende 14 toneladas de queijo coalho

Operação apreende 14 toneladas de queijo coalho. Mais informações acesse: http://jardimdoagreste.com.br/2018/09/18/policia-apreende-14-toneladas-de-queijo-coalho-durante-operacao-no-recife/

Publicado por Blog Jardim do Agreste em Terça-feira, 18 de setembro de 2018

Os produtos foram localizados em 16 veículos, que realizavam transporte irregular, segundo os policiais. Parte dos caminhões era refrigerada, mas havia queijo transportado em carro particular.

Os fiscais da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária do Estado de Pernambuco (Adagro) apontaram que os queijos estavam com embalagens falsificadas, que imitavam rótulos de marcas regularizadas, e com as datas de validade adulteradas.

Equipes fiscalizam queijo coalho que seria vendido no Mercado de Afogados, no Recife, nesta terça-feira (18) — Foto: Paulo César/Polícia Civil

Equipes fiscalizam queijo coalho que seria vendido no Mercado de Afogados, no Recife, nesta terça-feira (18) — Foto: Paulo César/Polícia Civil

Além disso, a agência divulgou um balanço diferente do informado pela Polícia Civil de Pernambuco, totalizando 11 toneladas de produtos apreendidos. A Adagro também informou que, na primeira quinzena deste mês, 64 mil embalagens falsificadas foram apreendidas.

Entre os queijos apreendidos, havia produtos sem embalagem alguma, enquanto outra parte estava sem as condições necessárias para a segurança do consumidor, como a embalagem sem ser a vácuo e informações sobre validade.

A ação foi coordenada pelo delegado Antônio Guerra, titular da Delegacia de Crimes Contra a Propriedade Imaterial. Foram três meses de investigação. Segundo ele, os responsáveis pelos produtos vão responder por vários crimes. “Eles cometeram infrações tributárias e, sobretudo, contra a saúde pública”, afirmou Guerra. (Veja vídeo abaixo)

Operação da Polícia Civil apreende 14 toneladas de queijo coalho

Operação da Polícia Civil apreende 14 toneladas de queijo coalho. Mais informações acesse: http://jardimdoagreste.com.br/2018/09/18/policia-apreende-14-toneladas-de-queijo-coalho-durante-operacao-no-recife/

Publicado por Blog Jardim do Agreste em Terça-feira, 18 de setembro de 2018

Os carros com as mercadorias foram encaminhados para a sede da Adagro, que fica localizada no Parque de Exposição de Animais, no Cordeiro, bairro da Zona Oeste do Recife.

No local, os donos dos veículos foram ouvidos por fiscais da agência e policiais. Cinco deles pediram para se regularizar, enquanto outros afirmaram confiar na qualidade dos produtos que revendiam. Alguns revendedores informaram que compram queijo no mesmo fornecedor há dez anos.

O presidente do Sindicato dos Produtores de Leite de Pernambuco, Saulo Malta, disse que os consumidores devem comprar queijos e pedir a nota fiscal. “É uma forma de saber que os produtos passaram pela fiscalização da Adagro”, afirmou.

Embalagens falsificadas foram apreendidas pela polícia durante operação de combate a venda de queijo coalho irregular, no Recife — Foto: Paulo César/Polícia Civil

Embalagens falsificadas foram apreendidas pela polícia durante operação de combate a venda de queijo coalho irregular, no Recife — Foto: Paulo César/Polícia Civil – G1

Comments

comments

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

AgroNegócios

Projeto do governo de PE prevê a inserção de 50 novas queijarias no Agreste Meridional Um dos objetivos é fortalecer a cadeia produtiva de leite da região do Agreste Meridional, retirando pequenos produtores da informalidade

Published

on

O Agreste Meridional, formado por 29 municípios, tem na pecuária leiteira sua principal base econômica. É a região conhecida como Bacia Leiteira do Estado, responsável por mais de 70% da produção total de leite em Pernambuco. Para fortalecer ainda mais a cadeia produtiva e retirar os pequenos produtores da informalidade, a Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), por meio de suas vinculadas Adagro e IPA, vai realizar um projeto em parceria com o Sebrae, ITEP e UFRPE/UAG para inserção de 50 novas queijarias no mercado pernambucano.

O projeto “Adequação das Pequenas Queijarias do Agreste Meridional” tem por objetivo promover a melhoria da gestão, adesão efetiva a novas tecnologias e o acesso a mercados através da adequação do processo produtivo às exigências legais para elevar a competitividade dos produtores de leite atendidos pelo projeto.

O lançamento das 50 queijarias no mercado pernambucano vai proporcionar o fortalecimento da cadeia produtiva e de valor do leite. O Sebrae irá prestar consultoria de adequação das pequenas empresas. O valor total do projeto, que tem prazo de vigência de fevereiro a dezembro de 2019, é de R$ 457 mil, e prevê uma contrapartida do Estado, que será discutida.

Segundo mapeamento da Adagro, Itep, IPA e UFRPE-UAG, atualmente mais de 50 produtores de queijo coalho trabalham na informalidade nas feiras livres da região ou na Região Metropolitana do Recife, correndo risco de terem seus produtos apreendidos. Em 2018, foram 15,3 toneladas de queijo coalho apreendidos no Estado, pela falta de registro e pelo transporte inadequado. Atualmente são 41 queijarias registradas na Adagro, além de 38 com licença de comercialização.

“O projeto terá um impacto bastante positivo, tanto do ponto de vista econômico quanto social, a partir da legalização desses pequenos produtores, garantindo a segurança alimentar da população, estimulando o surgimento de novos empreendimentos rurais do setor e gerando renda para o pequeno produtor”, avaliou o secretário de Desenvolvimento Agrário, Dilson Peixoto.

Estiveram presentes à reunião, pelo Sebrae, a diretora técnica Roberta Correia; a gerente da Unidade Agreste Meridional (UAM), Gerlane Melo; o gestor do Leite da UAM, Jefferson Fernandes; e a gestora do Agronegócio da UAM, Kedima Azevedo; o diretor presidente da Adagro, Paulo Roberto de Andrade Lima; o presidente do Sindicato dos Produtores de Leite de Pernambuco (Sinproleite), Saulo Malta; e o produtor de leite de vaca e queijo de coalho da marca Leite Nobre, Romildo Albuquerque Bezerra.

Blog Capoeiras

Comments

comments

Continue Reading

AgroNegócios

Secretário de Desenvolvimento Agrário discute alternativas para a bacia leiteira no Agreste Meridional Após a visita a Águas Belas, a agenda do secretário incluiu uma visita à Feira do Leite de São Pedro do Cordeiro, no município de Pedra

Published

on

Obras hídricas e a compra de leite em pó pelas indústrias de laticínios foram as principais queixas ouvidas pelo secretário de Desenvolvimento Agrário de Pernambuco, Dilson Peixoto, durante visita ao Agreste Meridional, realizada no último sábado. Em encontro com os produtores da Cooperativa Mista dos Agricultores Familiares do Vale do Ipanema (Coopanema), no assentamento Cristo Rei, em Águas Belas, Dilson recebeu um pedido de apoio para a viabilização da Usina de Leite da cooperativa, em construção, a instalação de dessalinizadores no município e apoio técnico para os produtores.

“Estamos em negociação com o Governo Federal para a liberação de R$ 30 milhões do Programa Água Doce, que prevê a aquisição de 170 dessalinizadores, dos quais 29 serão instalados em Águas Belas”, destacou o secretário. Sobre a usina, Dilson ressaltou a importância da fábrica para agregar valor à produção, que permitirá aos produtores deixar de vender lei in natura e passar a comercializar produtos processados. A Usina de Leite da Coopanema terá capacidade para beneficiar 10 mil litros de leite por dia, produzindo queijos, iogurtes e bebidas lácteas.

Ainda em Águas Belas, a programação incluiu visitas aos produtores Leandro Rodrigues da Rocha, assistido pela Coopanema, e José Cocermino de Freitas, fornecedor de um grande laticínio. Apesar de terem perfis e volumes de produção distintos, Leandro e José relataram as mesmas dificuldades enfrentadas com a seca: a concorrência desleal com o leite em pó e a conseqüente queda do preço do leite in natura. “O agricultor precisa ser assistido nesse momento difícil para que ele consiga reduzir os custos e agregar valor à produção. A principal missão que recebemos do governador Paulo Câmara foi dinamizar a agricultura familiar, a partir do apoio técnico e investimentos para melhorar a infraestrutura para os pequenos produtores”, enfatizou Dilson Peixoto.

FEIRA DO LEITE – Após a visita a Águas Belas, a agenda do secretário incluiu uma visita à Feira do Leite de São Pedro do Cordeiro, no município de Pedra, quando pode conversar um pouco mais com os produtores da região. A programação foi acompanhada pelos prefeitos de Águas Belas, José Aroldo; e de Pedra, Osório Filho; além do deputado estadual Claudiano Filho e do presidente do Sindicato dos Produtores de Leite de Pernambuco (Sinproleite), Saulo Malta.

Comments

comments

Continue Reading

AgroNegócios

Produtores de queijo do estado levam pauta do setor pra novo Secretário de Agricultura “Essas indústrias chegam aqui, ganham incentivos fiscais, mas não compram o leite do produtor local, substituindo-o pelo leite em pó no composto das suas bebidas”

Published

on

O deputado estadual Claudiano Filho reuniu, hoje (17), produtores de leite e queijo na Secretaria de Agricultura do Estado. Na pauta, um diagnóstico da maior crise pela qual estão passando, onde tem produtor vendendo 1L de leite por R$0,70. “Os produtores pediram um espaço para conversar com o novo secretário e levar os entraves do setor” disse Claudiano. Segundo o deputado, pediram maior empenho da parte do governo na fiscalização das indústrias de lácteos beneficiadas pelo Prodepe. “Essas indústrias chegam aqui, ganham incentivos fiscais, mas não compram o leite do produtor local, substituindo-o pelo leite em pó no composto das suas bebidas”, reclama Saulo Malta, presidente do Sindicato dos Produtores de Leite de Pernambuco (Simproleite).

Apesar da crise, a categoria ainda está de pé graças a iniciativas de apoio como a aprovação pelo governo do Projeto de Lei do deputado Claudiano Filho que viabilizou a legalização das pequenas fábricas de queijo desburocratizando as normas e permitindo que elas entrassem no mercado. Outras iniciativas como a isenção de 100% do ICMS concedida pelo governador Paulo Câmara para o queijeiro que estiver com seu registro definitivo atualizado junto a Adagro e a assistência técnica desse órgão no processo de legalização das pequenas fábricas fizeram a diferença para a classe.

Estiveram presente na reunião com o secretário de agricultura, Dilson Peixoto, além do deputado, os presidentes da Adagro, Paulo Lima, o presidente da Associação dos Criadores de Pernambuco, Emanuel Rocha, o presidente do Simproleite, Saulo Malta e produtores de pelo menos doze municípios, entre eles Águas Belas, Itaíba, Pesqueira, Pedra e Venturosa.

Comments

comments

Continue Reading

Trending

Copyright © 2019 Jrardim do Agreste