Connect with us
http://jardimdoagreste.com.br/wp-content/uploads/2018/07/728x140.png

Destaques

PAULO CÂMARA (PSB) É REELEITO GOVERNADOR DE PERNAMBUCO Com Lula como cabo eleitoral, o socialista impõe nova derrota a Armando Monteiro

Published

on

Mais uma vez, o governador Paulo Câmara (PSB) derrotou no primeiro turno, neste domingo (7), o senador Armando Monteiro Neto (PTB). O socialista recebeu 50,61% dos votos e o petebista, 36,01% com 99,41% dos votos totalizados. Usando o ex-presidente Lula (PT) como cabo eleitoral, Paulo terá mais quatro anos no Palácio do Campo das Princesas, no quarto mandato do PSB no comando da gestão estadual.

Apesar da vitória, o cenário foi mais difícil para o governador do que em 2014. Há quatro anos, em uma eleição marcada pela morte do seu padrinho político, o ex-governador Eduardo Campos (PSB), Paulo Câmara ficou com 68,08% dos votos válidos, o equivalente a 3.009.087 eleitores. Armando, então apoiado por Lula, teve 31,07% dos votos válidos, ou seja, 1.373.237.

O cenário político desta eleição começou diferente para o PSB. Depois de disputar com 21 siglas em 2014 e Armando com seis, Paulo Câmara este ano tem 12 legendas na sua base – o adversário tem 13.

Dois dos maiores partidos que deixaram a Frente Popular, o DEM e o PSDB, romperam por causa das eleições municipais de 2016 no Recife. Após eles lançarem a deputada estadual Priscila Krause e o parlamentar federal Daniel Coelho (hoje no PPS), respectivamente, Paulo Câmara pediu os cargos que as siglas tinham no governo. O PSB venceu o pleito e reelegeu o prefeito Geraldo Julio (PSB) naquele ano.

Em seguida, os socialistas passaram a fazer oposição às medidas propostas pelo governo Michel Temer (MDB), como a reforma trabalhista, retomando uma posição de centro-esquerda dois anos após apoiar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) para a presidência contra a então presidente petista, Dilma Rousseff. Os socialistas decidiram deixar a base do PT em 2013 – o que já havia sido feito em Pernambuco um ano antes -, para viabilizar a candidatura de Eduardo Campos a presidente.

O líder do PSB morreu em acidente aéreo durante a campanha e, até hoje, Armando diz que o clima de comoção levou à sua derrota em 2014. Motivo que não se repetiu este ano, eleição em que a imagem de Eduardo Campos não foi tão explorada.

Após perder para Paulo Câmara, o senador foi chamado para assumir o Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior de Dilma Rousseff, cargo em que permaneceu até o afastamento. Armando foi contra o impeachment; a maior parte da bancada do PSB, favorável. Este ano, já com o apoio do PT e podendo usar o ex-presidente Lula como cabo eleitoral, o governador afirmou ter se arrependido do apoio ao processo “no contexto histórico”.

Lula tinha, segundo o Ibope, 62% das intenções de voto no Estado até ser impedido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de disputar a presidência, por ter sido enquadrado na Lei da Ficha Limpa. O petista está preso desde o dia 7 de abril, condenado em segunda instância na Operação Lava Jato por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Já afastado do PT, Armando se reuniu a DEM e PSDB há um ano para formar uma frente de oposição contra Paulo Câmara. Os socialistas negociaram no período o apoio dos petistas ao governador. O partido, porém, tinha a pré-candidatura da vereadora do Recife Marília Arraes (PT) como moeda de troca e a articulação em nome do apoio nacional seguiu até o fim de julho. O PSB conseguiu que o partido minasse Marília, que acabou disputando para deputada federal, mas não concedeu o apoio formal nacionalmente por divergências internas nos estados. Interessava ao PT que os socialistas não fechassem aliança com Ciro Gomes (PDT).

Todos queriam usar o nome de Lula, mas só Paulo Câmara pôde aparecer em materiais de campanha ao lado da imagem dele.

Turmas de Temer, de Lula e da Lava Jato

Com a eleição deste ano marcada pela troca nos palanques, os novos posicionamentos foram explorados tanto por Paulo quanto por Armando nos guias eleitorais, nos debates e nas entrevistas. O que mais se ouviu foram os nomes de Lula e do presidente Michel Temer (MDB). Já nos últimos dias de campanha, o petebista resolveu também explorar a Operação Lava Jato, tema que foi deixado de lado nas eleições de 2016. As propostas concretas para o futuro do Estado, com isso, ficaram em segundo plano.

Todos eram “candidatos de Lula”. Já no caso de Temer, devido à baixa popularidade do emedebista – o governo é reprovado por 87% dos pernambucanos, segundo o Ibope – , os candidatos quiseram se afastar.

Desde o início da campanha, Paulo jogou para Armando a pecha de “turma de Temer”. Explorou o voto do adversário na reforma trabalhista. O petebista, por sua vez, devolveu relembrando que o socialista apoiou a medida do governo Temer no início. O governador também enfatizou que os dois candidatos ao Senado na chapa opositora – Bruno Araújo e Mendonça Filho – eram ministros. O petebista rebateu frisando que a maioria do PSB apoiou o impeachment e ele, não.

Tem vencido a estratégia do socialista.

Na reta final, Armando ainda tentou explorar o debate ético, levando para o guia e para o debate investigações de corrupção contra o governo e Paulo Câmara. Citou a Operação Torrentes, deflagrada pela Polícia Federal há um ano para apurar supostas irregularidades em contratos para o atendimento de vítimas das enchentes na Mata Sul em 2010 e 2017. Paulo Câmara não é citado no inquérito e nas denúncias, então a Justiça Eleitoral decidiu que ele não poderia mais ser relacionado à operação no guia do adversário. Foram usados também na última semana a Fair Play, em que o governador é alvo por supostas irregularidades na construção da Arena de Pernambuco, e o fato de ele ter sido citado na Lava Jato pelo delator Ricardo Saud, ex-executivo da JBS.

O discurso não colou.

Nesse cenário de discussão política, os candidatos não apresentaram planos de governo além das diretrizes apresentadas no registro da candidatura ao Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE). Paulo Câmara foi questionado por promessas feitas em 2014: a construção de quatro hospitais, dos quais apenas um teve as obras iniciadas, o bilhete único no transporte coletivo com tarifa única e dobrar os salários dos professores. Apesar das cobranças, elas não foram suficientes para impactar no resultado final da eleição.

Imaginava-se até o ano passado, ano com o maior número de homicídios desde a implantação do Pacto pela Vida, que a segurança seria um tema dominante na eleição. Este ano, porém, paulatinamente, o governo está conseguindo reduzir os índices de assassinatos e roubos e o assunto não se destacou tanto quanto os aspectos políticos.

Técnico escolhido por Eduardo, Paulo tornou-se político

Paulo disputou segunda eleição. Há quatro anos, menos conhecido, a cinco dias da eleição, o socialista tinha 16% de rejeição, o máximo atingido naquele pleito, segundo o Ibope; este ano, era de 34%. O petebista, que tinha 21% em 2014, agora chegou a 30%, também de acordo com o instituto.

Paulo Câmara veio dos quadros técnicos do governo Eduardo Campos. Auditor do Tribunal de Contas do Estado (TCE) desde os 22 anos – hoje tem 46 anos -, ocupou diversos cargos de gestão no órgão e passou pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). Em 2007, foi chamado pelo padrinho político para integrar o governo. Além de ter, assim como Eduardo, trabalhado no TCE, coincide a formação em economia pela UFPE.

Das três vezes em que assumiu pastas no poder executivo estadual, em duas teve a responsabilidade de resolver problemas na gestão. No compromisso de “colocar ordem na casa”, organizou o calendário de pagamento dos servidores na Secretaria de Administração (SAD), em 2007. Câmara assumiu o Turismo em 2011, depois da renúncia de Silvio Costa Filho (PRB), aliado de Armando Monteiro e investigado no esquema dos “shows fantasmas”, no qual foi inocentado. Por último, assumiu a Fazenda. Paulo Câmara se filiou ao PSB em outubro de 2013, para disputar o governo por escolha de Eduardo Campos.

Hoje, é vice-presidente nacional do PSB.

Blog do Jamildo

Comments

comments

Destaques

Ministério Público pede apoio da população para localizar foragidos da Justiça A lista é composta por ex-agentes públicos e empresários que atuavam em esquema criminoso que teria desviado R$ 18 milhões da Prefeitura de Quipapá

Published

on

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) solicita o apoio da população para localizar os sete foragidos da Justiça que não foram localizados na 4ª fase da Operação Gênesis. A lista é composta por ex-agentes públicos e empresários que atuavam em esquema criminoso que teria desviado R$ 18 milhões da Prefeitura de Quipapá, na Zona da Mata Sul.

Foi disponibilizado o telefone (81) 99284-0063 (que recebe ligações e contato por WhatsApp) para eventuais denúncias e informações sobre o paradeiro dos foragidos.

Comments

comments

Continue Reading

Belo Jardim

19º Baile Municipal de Belo Jardim será neste sábado (23) As atrações da noite são Araketu, Samba Clube Retrô e Orquestra de Frevo Leões do Norte.

Published

on

“Revivendo os Antigos Carnavais”, Belo Jardim no Agreste de Pernambuco se prepara para reviver toda a alegria e descontração da festa mais Brasileira, o carnaval, e como de costume, os festejos terão como grande ponto alto o Baile Municipal.

As atrações da noite são Araketu Samba Clube Retrô e Orquestra de Frevo Leões do Norte.

Com o tema: Revivendo os Antigos Carnavais, os organizadores acreditam que o 19° Baile Municipal, será o maior e melhor baile de todos os tempos. Venha você e todo sua família viver toda a alegria do mais tradicional Baile Municipal da região!

O baile está previsto para iniciar às 22h e encerrar às 5h do domingo (24), na Companhia do Lazer, localizada no quilômetro 3 da PE-180. Senhas individuais, além de mesas e camarotes estão à venda na cidade. Evento ocorre na noite do sábado (23/2)

Dúvidas podem ser esclarecidas pelos telefones (81) 9 9514-6056 ou 9 9255-6725.

Realização: Prefeitura municipal através da Secretaria de Cultura, Esporte, Eventos e Turismo.

Comments

comments

Continue Reading

Destaques

Domingo (24) haverá Bingo beneficente em prol de Ana Laura em São Bento do Una. Está programado para às 19h, também haverá torneio de futebol.

Published

on

Será no Campo de Zé de Tizinha, Sítio  Minador zona rural de São Bento do Una – PE. Domingo (24) haverá um Bingo beneficente em prol de Ana Laura. Está programado para às 19h, também haverá torneio de futebol.

A cartela custa apenas R$ 2,00

Prêmio um carneiro

Ana Laura tem uma doença rara chamada: AME (Atrofia Muscular Espinhal). Ela precisa de uma medicação chamada SPINRAZA e cada dose desta medicação custa R$ 372 mil reais, sendo que ela necessita de 6 doses.

Com uma grande mobilização em São Bento do Una, Belo Jardim e todo Brasil conseguiram o  dinheiro pra quatro dose, mas ainda resta duas dose. A luta continua!

Doe vida, ajude a salvar a vida da Laura!

Veja as contas bancárias que você pode fazer sua doação:
_______________________
CAIXA 
Código: 104
Agência: 2170
Operação: 013
Conta: 42389_3
Anna Laura Asevedo de Freitas
Cpf 152.564.904_35
_______________________
Banco do Brasil
Código: 001
Agência: 2244_6
Conta Poupança: 27825_4
Anna Laura Asevedo de Freitas
Cpf 152.564.904_35
_________________________
Bradesco
Banco: 237
Agência: 6040
Conta: 1000401_2
CPF: 152564904_35
Anna Laura Asevedo de Freitas
________________________
VAQUINHA: https://www.vakinha.com.br/…/ame-anna-laura-aparelho-respir…?
________________________
Joyz: https://www.joyz.me/p/p/01mMGJb
_______________________
https://www.gofundme.com/ame-anna-laura
________________________
Por favor ajude nessa corrida contra o tempo!!!

Comments

comments

Continue Reading

Trending

Copyright © 2019 Jrardim do Agreste